24 março 2008



Nós temos acompanhado todo esse revivalismo oitentista dos últimos anos, suas bandas-tributo e as bandas-tributo às bandas-tributo. Algumas delas conseguiram transcender e criaram um som genuíno, mais que honroso. Outras não conseguiram ser mais que cópias pálidas e até injuriosas de seus ídolos. Mas há também aquelas que, a despeito de não acrescentarem nada de novo, sempre lhe deixam com um sorriso no rosto cada vez que as escuta. Eu coloco a banda dessas cinco moças de Vancouver nesta última categoria.

Pegue um pouco de The Cure, The Smiths e Joy Division, adicione um pouco de androginia e lesbianismo e você terá The Organ.

A banda foi formada em 2001 pela vocalista Katie Sketch. Infelizmente, problemas internos sempre foram uma constante no grupo, de modo que em dezembro de 2006, para o meu desgosto, o The Organ foi sepultado, deixando em sua discografia apenas o debut Grab That Gun de 2004.


O álbum possui apenas 30 minutos, mas é de um agridoce inebriante, que, curiosamente, pode lhe fazer querer dançar like nobody’s watching. Cada elemento copiado faz toda a diferença. É, no entanto, a voz Morrisey-alike de Sketch que liga cada ponto, trazendo poder e substância à coisa toda, permitindo que sua sonoridade seja tão eficaz.
The Organ – Grab That Gun
Lançado: 2004
Origem: Vancouver, British Columbia, Canadá
Idioma: inglês
Estilo: new wave/post-punk revival
Influências: The Smiths / The Cure / Joy Division
 
© 2012. Design by Main-Blogger - Blogger Template and Blogging Stuff