09 novembro 2008



Trago a melhor banda de todos os tempos da última semana na Nova Zelândia: The Datsuns. Na verdade, essa não é lá uma banda muito nova. Ela tem pouco mais de uma década. O grupo se juntou quando seus integrantes ainda estavam na escola, em 1997, mas só passaram a gravar alguma coisa desde 2000. Nada que tenha me empolgado muito. Felizmente, o tempo fez bem à banda. O novo álbum, Headstunts, é o quarto na carreira dos Datsuns e o primeiro gravado com o novo baterista - Ben Cole, outro velho amigo de infância do grupo. O disco tem sido incessantemente ouvido por mim há algum tempo. Em poucas palavras: ele vem mais inspirado. Os Datsuns usam como influência tendências das mais variadas no mundo do rock. As sonoridades vão do punk ao psicodélico. Mas são o talento e a habilidade dos integrantes que fazem com que o que poderia soar clichê seja agradável e divertido de se ouvir. Headstunts é um álbum vibrante e melódico, com várias músicas que podem ficar na sua cabeça por bastante tempo e lhe façam querer cantar junto. Isso tudo sem perder peso.

The Dastsuns - Headstunts
01 Human Error 02. Hey! Paranoid People! (What’s In Your Head?) 03. Your Bones 04. Ready, Set, Go! 05. Yeah, Yeah, Just Another Mistake 06. Eye Of the Needle 07 So Long 08. Cruel Cruel Fate 09. Highschool Hoodlums 10. Cry Cry Baby 11. Pity Pity Please 12. Somebody Better


Lançado: Outubro, 2008
Origem: Cambridge, Nova Zelândia
Idioma: English
Estilo: Hard rock / Garage punk / Power pop
Para quem gosta de: Queens Of The Stone Age / The Hives / AC/DC


+ The Datsuns: Site oficialMySpaceLast.fm

04 novembro 2008

Se eu vi 40% dos shows do Festival DoSol deste ano foi muito. Culpa de vários percalços acumulados. A maior parte deles, felizmente, particulares - não do Festival em si. Eu ainda não gosto dessa coisa entocada dos shows, dos palcos serem no Armazém Hall e no DoSol. É meio claustrofóbico e eu sou naturalmente uma pessoa exausta. Prefiro ambientes amplos e abertos como no MADA. Nada como facilitar a locomoção e circulação de ar. Por isso, o largo da rua Chile rules. Esse lance de ser matinê também me atrapalha. Mas o que mais irritou o pessoal do meu grupo foi a impossibilidade de sair e voltar ao local. Se houvessem pulseirinhas ou mesmo se a pessoa ficasse com um “pedaço” do ingresso seria bem mais interessante para nós. Bom, coisas de festival.

Partindo para os shows, o meu maior arrependimento/tristeza foi não ter visto o Black Drawing Chalks e o Plastique Noir em ação. Mas não dá para lamentar muito depois de um show do MQN. Os caras são phoda, meu amigo, simplesmente isso! Meus 20 reais já estariam mais que bem gastos se eu tivesse visto apenas o show de Fabrício & Cia! Eu pagaria até mais. Foi visceral! Um dos melhores shows de “rock de roqueiro” da minha vida! Destaque para a preocupação de certa pessoinha sobre a vida do vocalista depois deste levar um belo banho de cerveja, divagações da importância de Fabrício para o rock nacional e a beleza do baixista da banda. Depois desse show, pouca coisa me surpreendeu ou me empolgou tanto. Todas as outras apresentações [que eu vi] foram okay. The Donnas foi aquela coisa... Estava ali por curiosidade. 80% das músicas parecem a mesma. Eu acho cansativo, bobo, mas apesar disso estava ali com boa vontade - ainda tenhamos ficado boa parte do tempo rindo e comentando dos americanismos e vícios de linguagem da vocalista e da performance sexuada da baterista e suas caras e bocas. Um show todinho para ouvir Take It Off no final. Mas houve quem se descabelou e levou como troféu uma palheta. Uma compensação razoável por ter tirado foto com as pessoas erradas mais cedo. Aliás, MUITA GENTE tirou foto com duas gringas [possivelmente] intercambistas, que circulavam pelo local, achando que fossem duas Donnas. Essa foi a sobrada histórica do festival. Owned!

Foi massa de ver, também, o show do Expose You Hate. É muito bonitinho ver o pessoal com camisetas da banda e tanta euforia num show de um grupo local. Massa mesmo. Mas o segundo dia, das camisetas pretas, só teve isso de legal para mim. Aliás, teve Venus Volts, também. Gostei muito do que vi e ouvi. A nova formação deixou o rock da banda bem mais moderno e dançante. A mistura dos dois vocais deu uma outra cor às músicas e a presença de palco do grupo é instigante. Foi massa.

Perdi muita coisa que parecia bacana. Sandrinha talvez possa falar mais do DoSol que eu.




Posts anteriores da série:

01 novembro 2008



Começa hoje o Festival DoSol. E o ENM vai dar algumas informações para os roqueiros de última hora. Os portões que dão acesso ao festival na rua Chile vão ser abertos às 15:30 da tarde e o primeiro show começa às 16:00. Para quem não comprou o ingresso antecipado, ele vai ser vendido na hora ao preço de 15,00. A organização pede ao pessoal que não compre ingresso de cambista por causa da falsificação (algumas pessoas não puderam entrar no festival ano passado por causa disso). A estrutura de dois palcos em duas casas de shows separadas vai ser mantida. Um palco fica no Centro Cultural DoSol e outro no Armazém Hall. Ou seja, sebo nas canelas pra ver todas as bandas!

[Edição: sábado, 01 de novembro, 3h50.
Não podemos deixar de agradecer todos aqueles que apoiaram a série Festival DoSol 2008, em especial: nossos amigos Peninha e Alécio Macedo pela ajuda, Pedro Oller pela parceria, as bandas Gandhi e AK-47 pela atenção, e, claro, Anderson Foca pela divulgação do ENM no site do DoSol.

Notem que o casting do Festival consegue agradar gregos e troianos do universo do rock potiguar. Há pelo menos umas 6 bandas que vocês indie scenesters, ao contrário do que dizem, podem aproveitar. 6 shows por 20 reais é um negócio pra lá de vantajoso, eu que me interesso por pelo menos 13 deles nem se fala... Deixar de prestigiar o Festival é querer que as coisas não aconteçam por aqui.
]


Aqui segue a programação completa do festival:


Sábado - 01.11.2008

Rua Chile

16h00

Rock Rovers (RN)

16h30

Fewell (RN)

17h00

Lunares (RN)

17h30

Rosa De Pedra (RN)

18h00

Star 61 (PB)

18h30

Camarones Orquestra Guitarrística (RN)

19h00

Barbiekill (RN)

19h30

The Sinks (RN)

20h00

Macaco Bong (MT)

20h30

MQN (GO)

21h00

Amp (PE)

21h30

Forgotten Boys (SP)

22h00

Black Drawing Chalks (GO)

22h30

The Donnas (EUA)




Domingo - 02.11.2008
Rua Chile

16h00

Gandhi (RN)

16h30

Ak-47 (RN)

17h00

Plastique Noir (CE)

17h30

Brand New Hate (RN)

18h00

Distro (RN)

18h30

Calistoga (RN)

19h00

River Raid (PE)

19h30

Expose Your Hate (RN)

20h00

Venus Volts (SP)

20h30

Torture Squad (SP)

21h10

Catärro (RN)

21h40

Mukeka Di Rato (ES)
 
© 2012. Design by Main-Blogger - Blogger Template and Blogging Stuff