Maldita Minoria - E Quem Disse Que Eu Morri? [2012]



Esse grupo paulista é formado por figuras com grande bagagem no underground. Para quem gosta de som cru e pesado é um prato cheio. Ouvir o Maldita Minoria é lembrar imediatamente do Sick Terror, o que não é um erro de forma alguma, já que o vocal é Nenê Altro aos berros.

O próprio Nenê já destacou em entrevistas sobre sua nova banda, que considera este EP como seu melhor trabalho pesado, desde o Aborto Legal, álbum clássico da Sick Terror.

O disco teve sua arte desenvolvida por Felipe Moreno, que também foi responsável pela arte do livro O Diabo Sempre Vem Pra Mais Um Drink, lançado em 2011, também de autoria do cantor da banda, aliás o cara manda muito bem nas artes.

Entrando na parte das influências pinceladas no disco estão bandas como Ripcord, Cryptic Slaughter, Life’s Halt, Manliftingbanner, DRI e Corrosion of Conformity, o que não poderia resultar em algo diferente de um hardcore violento, rápido, com gritos e letras carregadas de críticas.

E Quem Disse Que Eu Morri? é formado por dez músicas que resultam em pouco mais de nove minutos de som, mostrando que o objetivo é ser curto e grosso mesmo.



A primeira faixa, que leva o nome da banda traz uma vinheta de 8 segundos seguida de uma pancada sonora onde na letra fica expresso o pensamento da banda, anticomercial, anarquista e inconformista.

A segunda música Menos Punk já faz uma crítica ao radicalismo existente dentro das diversas cenas do underground, focalizando no punk. Funciona como um expurgo de raiva contra alguns da “cena” que tem cabeça fechada e só sabem criticar.

O singelo título do terceiro petardo do disco 777 Picas No Seu Cu é uma crítica à cena religiosa dentro do underground, o próprio Nenê já disse por diversas vezes não apoiar bandas de temática religiosa, quanto à parte instrumental é mais uma pancada de 1:05.

Consuma Até Morrer tem um título autoexplicativo. Crítica pesada ao consumismo e capitalismo.
Some da Minha Vida é quase um escarro de raiva. A letra inteira funciona como uma ruptura entre o cantor e alguém que o fez muito mal.

Marginal de Merda é mais uma crítica à violência e radicalismo existente em algumas células do punk paulistano, e as descaracteriza como parte integrante do movimento de forma verdadeira. Na parte instrumental é a que mais se aproxima do punk tradicional.

Burro Pior vai contra a falta de consistência temática de alguns, que se julgam politizados, mas que só reclamam sem qualquer esboço de solução.

Agora Mais Do Que Nunca, Tosco Till Death! é uma citação à época do Sick Terror, trazendo para os tempos atuais. É facilmente perceptível que a ideia é explicitar a volta ao som mais rápido, mais agressivo.

Não, Eu Não Quero Tocar Em Seu Festival Fodão Nem Fazer Parte De Sua Elite Idiota é com este pequeno título que termina o primeiro EP. A letra atira para cima da nova cena e sua fantasia “hardcore” onde muitas vezes o estilo se torna algo superior à atitude, e onde toda a atitude parece forçada.

Em uma análise final o EP é uma volta às origens mais agressivas do punk cru e direto, onde Nenê Altro sempre teve grande participação, e de onde tinha se afastado nos últimos anos, de forma consistente visto que até montou algumas bandas neste sentido, mas que não chegaram a atingir tamanho nível de agressividade. É um disco de tiro curto, que já deixa a expectativa para trabalho completo.


 
E Quem Disse Que Eu morri?, Maldita Minoria
Lançamento: Agosto de 2012
Origem: São Paulo, Brasil
Estilo: punk/hardcore/power violence
Minha nota: 9/10
Para quem gosta de: Sick Terror, Discarga, Presto?




+ MALDITA MINORIA: Facebook - Twitter
Compartilhe no Google Plus

About Felipe Alecrim

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment